Deixe um comentário

Paulo Henrique Amorim: O PT quer se livrar do Zé Dirceu?

 

publicado em 25 de março de 2014 às 21:33

PT AJUDOU A CONDENAR O DIRCEU

Por Paulo Henrique Amorim, no Conversa Afiada

Não deve parecer estranho que a nota oficial do Diretório Nacional do PT, da semana passada, tenha sido tão discreta ao defender o José Dirceu, condenado à prisão perpétua pelo Presidente Joaquim Barbosa.

Aliás, o PT jamais mencionou pelo nome os companheiros condenados.

O PT defendeu os condenados do mensalão com o constrangimento de quem é obrigado a proteger o genro chantagista.

(Ou não foi o PT que demitiu e depois readmitiu o Delúbio? Não foi o PT que tirou o Genoino da Presidência? E trata o Dirceu como se fosse chefe de ONG?)

E por que?

Porque o PT fez, como a UDN, uma interpretação moral do mensalão, ou melhor, da AP 470.

O PT ficou com vergonha de seus líderes.

O Tarso Genro, o José Eduardo Cardozo, o zé do Dantas, esses, então, só não celebraram porque seria um erro político fatal.

O PT jamais enfrentou o Supremo.

E jamais enfrentou o Supremo na arena em que o Supremo julgou a liderança petista: na arena política.

Dirceu, Genoino e João Paulo foram condenados sem prova.

E Delúbio cometeu um crime<img src="http://cdncache1-

a.akamaihd.net/items/it/img/arrow-10×10.png” alt=”” /> eleitoral, já prescrito, o de Caixa 2.

O PT ganhou a eleição de 2002 e dois de seus principais aliados estavam quebrados: o PTB de Roberto Jefferson, e o PL de José Alencar.

O que ia fazer o Dirceu?

Renunciar à vitória e não deixar o Lula governar?

Ele fez o que TODOS os partidos brasileiros fazem – com exceção, é claro, do imaculado PSDB: mandou o Delúbio recorrer ao Caixa 2..

O PT corria o risco de levar e não governar.

O que esteve em jogo no Supremo foi se o PT tinha o direito de governar, mesmo depois de ganhar a eleição.

Quando o Ministério Público Federal, sob a batuta do inesquecível Antonio Fernando – depois advogado de Daniel Dantas – denunciou “Ali Babá e os 40 ladrões”, para regozijo do PiG, quis dizer assim: se o Lula botar a cabeça pra fora, a gente pega o Ali Babá!

O Supremo queria, nessa ordem: a cabeça do Dirceu, Genoino, Gushiken e João Paulo.

Depois, a do Lula e da Dilma.

Foram trucidados três presidentes do PT – Gushiken, Dirceu e Genoino e um Presidente da Câmara, o João Paulo, na linha direta de sucessão do Presidente.

(Gushiken foi absolvido à beira da morte, sem ouvir a retratação do Pizolatto).

O objetivo do Supremo não era “restaurar a moralidade”!

Era decepar o PT.

E conseguiu.

Com a ajuda do PT.

Porque o PT – a “UDN de tamancas”, segundo o Darci Ribeiro – se deixou conduzir pela cantilena moralista.

E o que estava em jogo era o PODER !

Não era Ética, a Ética do Gilmar Dantas.

A nota do Diretório revela que o PT não entendeu a relevância da queda do crime de quadrilha, nos embargos infringentes.

O Joaquim Barbosa e o Ataulfo Merval de Paiva entenderam perfeitamente.

É porque sem o crime de quadrilha não tem domínio de fato.

Sem a quadrilha, o Dirceu dominava o que?

Que quadrilha?

A de São João?

A queda do crime de quadrilha desmancha a lógica de toda a condenação dos petistas.

E é por isso que a revisão criminal se torna inevitável.

O que pode permitir, eventualmente, que Dirceu reassuma o controle político do PT, formalmente, mais cedo do que se pensa.

O Barbosa entendeu a natureza do julgamento muito mais do que o PT.

Barbosa entendeu que o gesto desafiador do Dirceu – e do Genoino – , com os punhos cerrados, erguidos, atingia o estômago do processo.

Eu não fui condenado – e muito menos derrotado, diz o gesto.

E é por isso que Barbosa deixará Dirceu na masmorra enquanto for tolerável.

Até o ponto em que não contribuir para reforçar a imagem de mártir que já cobre Dirceu.

Pouco antes de ser preso, um dos condenados disse ao ansioso blogueiro:

“Eles acham que vão nos derrotar, nos abater? Eles não entendem do que somos feitos. Nós somos quadros. Nós somos de Partido. Nós vamos fazer o que fazemos até a morte. Nós não temos compulsória aos 70 anos.”

Dirceu pode estar na rua, em regime aberto, por volta de novembro.

Quem mais teme esse momento não é o Barbosa, que já terá ido embora.

É o PT.

PS do Viomundo: José Dirceu é odiado por muitos. Inclusive na esquerda. Não pelos seus muitos defeitos, mas por seus méritos. É um estrategista brilhante. É inteligente. Bem informado. Corajoso. Como me disse hoje João Vicente Goulart, o filho do Jango, ninguém chuta cachorro morto. Jango estava vivo e provavelmente se elegeria presidente em 1965. Ou ele, ou Juscelino. O resto é picaretagem historialista de… deixa pra lá. O motivo de alguns petistas desejarem o enterro de Dirceu é o medo da sombra de Dirceu. São aqueles que vivem apenas de sugar o brilho alheio. Os arrivistas. Os capachos. Alguns alcançaram inclusive o ministério de Dilma pela capacidade de dizer amém. Os amigos jornalistas que me restaram na mídia patronal dizem: “A melhor forma de f…. o PT é ouvir um petista em off. Estão sempre querendo destruir uns aos outros”.  Uma vergonha.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: