2 comentários

Os novos coxinhas

Imagem

 

 

Por Claudio Fajardo

 

 

Se você é um dilmista não leia este texto. Será pura perda de tempo. Você não é um sujeito apto a refletir sobre as críticas.

Dia desses o Fernando[1] sugeriu que se substituíssem os termos “coxinha” por alienado e “tucano” por anti-petista. Segundo ele assim seriam por ele compreensíveis os termos. Pois, utilizando-me do termo “coxinha” ou “alienado”, quero fazer uma reflexão sobre a atitude mental de uma parte da militância do PT que se julga de esquerda. Aos quais posso chamar de ‘neo-coxinhas’.

Então. É impressionante que um contingente tão vasto de pessoas seja absolutamente imune à crítica. Não ouve, não reflete, simplesmente não é tocado por ela. É impressionante porque se consideram de esquerda e o mestre maior das esquerdas, Karl Marx, era um crítico contumaz e fazia da crítica e autocrítica um dos principais instrumentos de verificação da verdade científica. Mas esse contingente de “neo-coxinhas”, ou “alienados”, exclui, desclassifica, refuta qualquer referência crítica ao governo Dilma sem ao menos contra-argumentar racionalmente. Pior, respondem com um sem-número de xingamentos e se bloqueiam totalmente para o mundo da reflexão. Mas, continuam se achando de esquerda e aos outros tacham  de direita ou tucanos.

Qualquer pessoa um pouco informada sobre o que é esquerda e direita vai saber distinguir os representantes de uma ou de outra mas esse “neo-coxinha” inverte tudo. Por exemplo: ao longo da história se consignou chamar de esquerda aqueles que são contra as privatizações, ao predomínio dos monopólios privados, ao predomínio do capital especulativo em detrimento do capital produtivo, são contra a desnacionalização e são a favor de políticas públicas que promovam o bem-estar da população, o desenvolvimento nacional. São, portanto, também anti-imperialistas e contra o entreguismo.

Pois bem. O governo Dilma privatizou, mesmo que para tanto tenha usado termo diferente, portos, aeroportos, rodovias, ferrovias, petróleo e minérios. Mas, os “neo-coxinhas” negam que isso seja privatização e se aferram aos termos substitutivos para justificar suas posições. A predominância do capital especulativo sobre o produtivo é escancarada. Temos as maiores taxas de juros do Planeta e cortamos quase a metade do orçamento da União para remunerar esse mesmo capital. Enquanto isso, o país vive um processo de desindustrialização. Os “neo-coxinhas” não contra-argumentam.

Uma das políticas públicas mais importantes do período Lula foi o PROUNI. Através desse programa um numero gigantesco de pessoas pode cursar a universidade. Pois bem. Devido a falta de restrições o capital estrangeiro está tomando conta das universidades e faculdades particulares e as vagas tem seu preenchimento com os recursos do PROUNI. O ensino perde qualidade e os lucros serão remetidos para o exterior, mantendo e ampliando a situação de dependência econômica do País. Silêncio por parte dos “neo-coxinhas”.

O câmbio defasado favorece as importações, dificulta as exportações e desequilibra a balança de pagamentos. Desindustrializa e aumenta a dependência externa. Os “neo-coxinhas” não tocam no assunto.

Poderia discorrer mais sobre diversos pontos onde a atitude do governo é contrária ao que se chama de política de esquerda. Ainda assim esse contingente que se acha de esquerda continua a defender esse governo e chamando os seus críticos de “direita”.

Eu nunca dei bola para os xingamentos da direita, que nos chamava de inocentes úteis. Eu não me considerava inocente por pensar de acordo com a pauta de esquerda. Portanto, cheguei a pensar que essa figura de “inocente útil” nem sequer tinha existência real. Agora, depois de tanto tênar inutilmente argumentar com representantes desse contingente de petistas que se acham de esquerda, começo a crer que existe mesmo os tais inocentes úteis. Mas, contrariamente ao que dizia a direita (que eram inocentes manipulados por comunistas), são inocentes manipulados pela direita com tanta força que sequer percebem que estão defendendo as posições e a pauta da direita.

 

[1] Fernado Toledo de Martins

Anúncios

2 comments on “Os novos coxinhas

  1. Ola Fajardo. Sou filiado ao PT mas concordo com muita critica que vejo dos anti-petistas e/ou tucanos. O PT sempre foi um partido ideologico mas as coisas mudaram um pouco quando entrou no poder. E eu digo que mesmo sendo petista quero qualquer mensaleiro na cadeira! Vejo muitos petistas falarem do Tucanoduto, Mensalao do DEM, Mensalao do Azeredo, Esquema do Metro, etc. Mas nao admito e nem a sociedade pode admitir o mensalão no PT. Por isso eu concordo em ficar batendo na mesma tecla, nao interessa se o mensalão do PT é 10x menor que os mensaloes do PSDB, o PT NAO PODE TER MENSALÃO, pois isso esta amarrado na sua ideologia. Eu no meu ponto de vista vejo que houveram muitos avanços no governo Lula tanto para eu, como minha familia, meu bairro, cidade, minha classe, etc. Portanto considero melhor que o governo tucano. Em relação ao Campos, sinceramente nao sei como seria mas acho ser hipocrisia da parte dele querer ser governo com o que foi bom e ser oposição com o que esta ruim. Ou participou de tudo ou nao párticipou de nada. Se ele fosse todo esse administrador que diz ser, o estado de Pernanbuco ainda nao teria tantas dificuldades sociais que tem atualmente. Por fim, éssa é minha opinião, concordando ou nao é importante respeita-la, assim como eu respeito seu texto e sua opinião, pois só assim teremos uma democracia de verdade e não se faz democracia sem oposição. Um grande abraço e continue com seu trabalho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: